single-image

Zilliqa e o artifício de uma rede fragmentada

A Blockchain da marca segue o sistema aplicado na Ethereum 2.0 e busca resolver a questão da escalabilidade de redes no criptomercado

 

Cada rede descentralizada atua e exerce seu conceito dentro de uma ideia que pode ser única ou que já está estabelecida no setor dos criptoativos. Algumas seguem pelo lado do Bitcoin e do criticado Proof-of-Work (PoW) do Ethereum em sua versão 1.0. Outras concepções, como a da Zilliqa, buscam outros horizontes. Entrando na ideia do “Sharded Network”, a Blockchain da marca segue o sistema aplicado na Ethereum 2.0 e busca resolver a questão da escalabilidade de redes no criptomercado.

Desenvolvida por Prateek Saxena, com o auxílio de terceiros, a Zilliqa entra no setor de forma fragmentada, buscando entender a velocidade, usabilidade e questões escaláveis de redes, tentando propor sua melhor versão possível, de uma maneira até disruptiva. Em linhas gerais, em seu documento oficial, a rede é uma Blockchain pública que foi idealizada para proporcionar rendimento completo e alta capacidade transacional por segundo. Isso só é possível pelo fato da rede atuar em “Sharding” em uma segunda camada de soluções em escalabilidade. Pode parecer complexo, mas é uma ideia pioneira.

A Zilliqa é  conhecida por aportar diversas DApps (aplicações e aplicativos descentralizados), utilizando também o conceito de Yield Farming, que futuramente iremos comentar melhor aqui em nosso portal. A ideia da ZIL entrou em evidência apenas em 2019, trazendo também o token do mesmo nome, que foi criado para processar transações na rede própria e executar contratos inteligentes. Com essa união, os criadores da rede afirmam que a Zilliqa é a primeira Blockchain pública que depende de uma rede fragmentada, gravando transações de forma imediata em sua rede depois de processadas, sem a necessidade de outra forma de confirmação do processo.

 

Ambiciosa e Publicitária

 

A rede fragmentada da Zilliqa chama atenção, obviamente, por ser algo único dentro do setor dos criptoativos. Desta maneira, a publicidade da rede chegou a atingir alguns nomes do futebol mundial, como Pepe (jogador do Porto) e James Rodriguez (jogador do Everton), que fazem a publicidade da ZIL em suas contas do Twitter. Esse modelo faz com que a ideia da Blockchain da Zilliqa entre mais no senso comum, tendo uma divulgação igual tanto para um público mais amplo quanto para quem já atua dentro do setor.

Muito além disso, a ZIL busca horizontes ainda mais ambiciosos, algo bem evidente se levar em conta onde a rede quer atuar. De acordo com os fundadores da Zilliqa, a ideia é ser a primeira escolha em termos de empreendimento em larga escala. Em outras palavras, essa Blockchain quer entrar mais ainda nos campos de publicidade, games, entretenimento geral e em modelos de financiamento. Com essa ideia se concretizando, a Zilliqa tem a ambição de rivalizar com grandes centros monetários tradicionais, como a VISA e a MasterCard.

Leia também: 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

VOCÊ PODE GOSTAR