Educação
single-image

Zcash (ZEC): Seguindo de forma árdua os conceitos de privacidade

A metodologia usada pelos desenvolvedores da Zcash é um contraponto de grandes núcleos, como o Bitcoin (BTC), que não apresentam uma natureza anônima

Privacidade e anonimato são alguns dos pilares utilizados e defendidos de forma árdua dentro do criptomercado. É claro que o primeiro termo é muito mais recorrente, mas há soluções que usufruem de questões de anonimato bem relevantes para o desenvolvimento de outros métodos criptográficos. Um ativo que realiza esse trabalho é a Zcash (ZEC), que se apresenta como um criptoativo que foca nesses pilares utilizando uma tecnologia de prova de conhecimento zero, chamado de zk-SNARKs.

Esse mecanismo oportuniza a verificação de transações por parte dos “nós” sem que haja a necessidade de revelar informações mais delicadas. A metodologia usada pelos desenvolvedores da Zcash é um contraponto de grandes núcleos, como o Bitcoin (BTC), que não apresenta uma natureza anônima.

Mesmo que haja um apego muito grande por esse pilar, o White Paper da proposta deixa bem claro que as transações em ZEC precisam ser retransmitidas por meio de um livro-razão público, o que passaria por um caráter menos anônimo. Porém, ao contrário de outras vertentes da criptoeconomia, os endereços envolvidos nas transações e seus valores não são revelados.

Em contrapartida, o usuário que opera com essa proposta conta com a opção de revelar seus dados para outras finalidades. Assim, fica claro que o grande diferencial do projeto de moeda é seu anonimato opcional, algo que não é encontrado em outras propostas, já que elas seguem um roteiro pré-estabelecido nesse teor. De acordo com informações do projeto da Zcash, há a alternativa de enviar ZEC de duas maneiras, seja de maneira transparente ou blindada.

Transparência

Em relação às transparentes, elas seguem a mesma linha ideológica do Bitcoin, já que o Zcash se baseou em certo momento no criptoativo mais popular do mundo. O código base funciona dessa maneira, com a mesma sendo enviada de endereços públicos, sendo registradas em Blockchains imutáveis. As informações ficam disponíveis para o público geral, como é recorrente dentro do criptomercado. Porém, vale lembrar que transações públicas não revelam a identidade de seus usuários de forma consistente. Com o tempo, outras alternativas surgiram, já que sempre há um grande apreço pela atualização constante da economia criptográfica. Assim, hoje observamos modalidades que apresentam um teor de forte privacidade, sendo praticamente impossível a exposição pública de muitos dados inseridos em transações dessa natureza.

Dentro da Zcash, isso é chamado de “transações Shielded ZEC”, que seguem conceitos não interativos de conhecimento zero (zk-SNARKs). Essas são as transações que permitem um anonimato completo, sendo inseridas dentro de uma Blockchain que irá sustentar todo esse trabalho idealizado. Como citado, tudo pode ser registrado em um livro-razão específico, mas com esforços de seus utensílios e sua filosofia de trabalho, a Zcash não revela endereços e valores, o que caracteriza seu trabalho como único dentro do mercado. Como diz o White Paper do projeto, quem atua com a ZEC pode desfrutar de vantagens de ativos digitais descentralizados e sem permissão, com seu auxílio e propulsão de atividade.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

VOCÊ PODE GOSTAR