single-image

Projeto Nuls: A Infraestrutura de Blockchain Personalizável

A tecnologia evolui a cada década, na qual vem facilitando a vida das pessoas no dia a dia, observando isso, surgiu a Blockchain. E, sendo uma das maiores revoluções tecnológicas do século XXI. 

Tudo começou em 1991, o Stuart Heber e W. Scott Stornetta, onde trabalharam primeiramente na criação e no desenvolvimento da criptografia dentro da cadeia de blocos, ou seja, quando realizasse as transações não saberiam de quem veio e qual seu destino final, promovendo o primeiro ato de privacidade aos seus usuários. 

Um ano após, 1992, eles incorporaram atualização chamada de árvore de Merkle, tendo mais eficiência e colocando tudo em um único bloco, garantindo que os blocos fossem inseridos de tal forma que ninguém conseguiria “quebrar” a criptografia, e evitando a localização dos indivíduos da transação.  

Vendo essas tentativas do passado, o grupo ou pessoa denominado pelo pseudônimo Satoshi Nakamoto, conceptualizou a blockchain. Além de simples blocos dentro da cadeia, mas fazendo a junção de descentralização e economia, nascendo assim o Bitcoin, devido os indivíduos enviarem e receberem a criptomoeda de forma totalmente anônima e gerando um ecossistema imparável. Lançando o whitepaper em 2009 no fórum do BitcoinTalk.org, isso permitiu que outros desenvolvedores entrassem no projeto, onde até hoje colaboram de forma voluntária para manter a rede sempre segura e livre de ataques hackers. No mesmo ano, Nakamoto lançou o Bloco Gênesis do Bitcoin, fazendo referência a crise de 2008 e criticando os Bancos Centrais.

Fonte: Bitcoinnews.com

Passando para 2010, a primeira compra de 10.000 BTC é realizada, mais tarde caracterizada um marco importante na história da criptomoeda, a mesma que teria destaque mundial depois. 

Já em 2012 e 2013, a Capitalização do ativo chegou a 1 bilhão de dólares, superando na época até mesmo mercados tradicionais como o de ações. E percebendo esse fenômeno programado, Vitalik Buterin lança o Whitepaper do Ethereum, a altcoin descentralizada inspirada no Bitcoin. 

De um ano a dois anos seguintes, 2014 e 2015, o bloco gênesis do Ethereum é criado e a Fundação Linux, entra na Blockchain. 

No tardar 2016 e 2017, um bug acontece na rede do Ethereum e  tem o bloco invalidado no próprio sistema e assim gerando um novo protocolo inteligente com segurança aprimorada. 

O mercado das criptomoedas, houve uma explosão de inovações e soluções em 2018 a 2020, contudo, novos projetos para facilitar a vida dos usuários desde de altcoins como Nuls até as maiores stablecoins que possui grande volume nas Exchanges, o Tether. 

Fonte: 101blockchains.com

Depois de análises e estudos de mercado, eles perceberam que haviam muitos problemas relacionados a estabilidade nas transações, devido às taxas altas. E assim buscaram desenvolver uma blockchain própria e com maior facilidade a todos. 

A equipe da Nuls, é formada por profissionais talentosos na área de TI e mesmo sem experiência nesta nova área de tecnologia, eles não desistiram e estudaram como funcionam os códigos de programação, projetando a futura plataforma. 

Encontrando os problemas de empresas e indivíduos, o desenvolvimento foi totalmente rápido. Ganhando popularidade na comunidade mundial de criptomoedas. Além do projeto ser listado em grandes Exchanges como Binance e KuCoin.

A Nuls, atualmente está sediada em Singapura. 

O que é Nuls

O projeto Nuls é uma blockchain com uma arquitetura modular que permite módulos personalizáveis e cadeia cruzada (cross-chain). Isso permite que os módulos sejam escaláveis, coercivos e que possam ser removidos ou adicionados durante o decorrer da operação. 

Todos esses aspectos fundamentados numa rede descentralizadas, deixa o desenvolvedor preencher lacunas e assim adequar ao seu negócio, dado através de consenso de algoritmo e prova de participação.

 A Nuls tem as seguintes características: 

  • Facilidade de Utilização: Dando oportunidade ao desenvolvedor experiente e não experiente com uma plataforma simples de usar e programar, não perdendo na qualidade da construção do projeto;
  • Adaptável a tipologia de aplicativos: O desenvolvedor pode usar as camadas modulares em todas as aplicações possíveis, desde contratos inteligentes até a criação de várias cadeias dentro de blocos; 
  • Alta performance: Vendo problemas em blockchains existentes, a Nuls desenvolveu a Chain Factory, deixando as transações serem validadas rapidamente sem demora, e ainda usar outras cadeias baseada na Nuls. 

Escassez e Distribuição

O token Nuls, é exclusivamente usado no ecossistema. Logo, para todos participarem do mesmo, o projeto dividiu em 4 partes e controlando a sua emissão que é de 100 milhões:  

  • Airdrop: 40% (40 milhões) serão emitidos via airdrop para os proprietários do token ERC20 do projeto Inchain, onde é o Investidor da Nuls;
  • Fundo de Desenvolvimento: 20% (20 milhões) serão destinados ao desenvolvimento contínuo da rede. Contudo, quando a rede principal for ativada, terão desbloqueados 5% (1 milhão), advinda da taxa ao longo de 20 meses; 
  • Fundo da Comunidade: 20% (20 milhões), este fundo será destinado a construção da comunidade. Não podendo ultrapassar os 40% (4 milhões) por ano;
  • Business de Cooperação Empresarial: 20% (20 milhões) são destinados a projetos empresariais e de terceiros, construídos a partir da Blockchain da Nuls. Assim, como o fundo de Comunidade, não podendo ultrapassar os 4 milhões ao ano; *Manutenção da Rede: 5 % (5 milhões) de Nuls serão destinados exclusivamente, através do consenso Proof-of-Credit (Prova de Crédito) para a manutenção da rede.

 

Ecossistema

O token Nuls, possui um ecossistema próprio capaz de beneficiar o usuário detentor da moeda em vários aspectos, fortalecendo a comunidade.

  • Staking: Tendo o balanço adequado de Nuls, você já pode começar a validar transações e receber recompensas, usando as carteiras oficiais;
  • Prova de Crédito: Uma forma de staking, porém, diferente. Pois, em vez de ganhar Nuls no staking “normal”, tem a chance ganhar os projetos inovadores, advindos desse staking. Logo, não precisando participar de IEO ou ICO;
  • Governança: Tendo o token, você pode votar nas melhorias da comunidade e eleger Embaixadores do projeto de outros países;
  • Contratos Inteligentes: Possibilitando o código aberto, permite o desenvolvedor criar o seu projeto de uma maneira simples;
  • Comunidade Open Source: Aberta em mais de 70 países, a Nuls possui uma comunidade aberta, onde todos podem participar; 
  • Micro serviço: Pacotes de serviços e aplicativos de software que pode ser implementado, utilizando os módulos e tornando projetos independentes; 
  • Farming de Tokens: Possuindo Nuls, você participará de pools de liquidez, e receberá recompensa, os projetos que estão fazendo sucesso no mercado, e não saindo do ecossistema da moeda. 

 

 

Consulta à Equipe

O Monetário entrou em contato com o Embaixador da Nuls no Brasil e em Portugal, João Figueiredo, para responder às nossas perguntas:

O Monetário: Por que a Nuls, tem a chance de facilitar a vida dos empreendedores usando a Blockchain personalizável? 

João: Só o fato de um empreendedor conseguir criar uma blockchain através de uma interface gráfica, onde pode escolher os módulos que vão de encontro à blockchain pretendida (wallet, explorador, cross-chain, consensus e etc). Além de ter essa facilidade na construção, o empreendedor poupa tempo e dinheiro focando hoje em dia e principalmente neste mercado que está sempre inovando, podendo ter por base um código modular através de micro serviços que também irá favorecer essas empresas se modularizar com os trends.

O Monetário: Você acredita que o DeFi, através de novos mecanismos de ganhos como farming que a Nuls uniu recentemente, permitirá o usuário ter uma liberdade financeira a longo prazo? 

João: DeFi não é algo recente na Nuls – Principalmente quando falamos sobre a parte de custódia, a Nuls a meio de 2019 lançou a plataforma POCM, onde contém um mecanismo bastante interessante. Os projetos fazem a distribuição de seus tokens através de um node para os stakers e os stakers abdicam da recompensa de Nuls para esses projetos serem funding, mas o importante a retirar daqui é que já em 2019 a Nuls utilizava por sua base um P2C – Peer to Contract (Pessoa para Contrato), sem interação entre o usuário e o projeto e só desta forma é que será possível obter confiança em cripto. 

Portanto, se as Keys (chaves) são suas e podendo usar serviços diretamente com as suas carteiras, então sim,  já tem de certa forma a sua liberdade financeira.

Considerações Finais

A Nuls é diferente de todo projeto no mercado, priorizando não somente o seu ecossistema, porém, apoiando o empreendimento dentro da Blockchain, crescendo o ecossistema e mostrando que a mudança não começa com a individualidade de uma comunidade, e sim na união.

Ficha Técnica 

Nome: Nuls
Símbolo: NULS
Total em Circulação: 99,068,698
Fornecimento Total: 111,145,597
Rede Suportada: Nuls Network
Criador(a): Fundação Nuls

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

VOCÊ PODE GOSTAR