Criptomercado Educação Tecnologia
single-image

Harmony (ONE) e seu auxílio dentro do mundo das DApps

O projeto se apresenta como uma plataforma em teor Blockchain que facilita o desenvolvimento e manuseio de aplicativos descentralizados

 

As DApps, também conhecidas por serem aplicativos descentralizados, são uma das grandes sensações dos últimos anos, sendo uma tecnologia muito utilizada dentro de ferramentas emergentes do criptomercado. Uma dessas soluções que é um grande projeto auxiliar das DApps é a Harmony (ONE). O projeto se apresenta como uma plataforma em teor Blockchain que facilita o desenvolvimento e manuseio de aplicativos descentralizados. A Harmony foi criada para ajudar no modo de trabalho dessas aplicações, propondo fragmentação concentrada para a criação de blocos em poucos segundos.

Mas quais os outros focos do projeto?

O projeto ainda é novo, mas já encabeça uma boa posição no CoinMarketCap, atualmente na 67ª posição e com um valor de US$ 0,1667 (valor registrado na tarde do dia 10/09). Segundo comunicado vinculado no site do projeto, a Harmony irá inserir os chamados Cross-Shard Contracts em sua rede, aumentando ainda mais seu alcance com uma infraestrutura Cross-Chain. Essa inclusão tem previsão para ocorrer ainda este ano, sem uma data certa para acontecer. O responsável por toda a ideia revolucionária é o CEO, Stephen Tse, que conta com uma equipe reduzida para realizar o alcance significativo da Harmony.

Além disso, outro grande foco do projeto é na velocidade e praticidade no processamento e validação de dados e outros detalhes. Isso vem sendo possível por causa do trabalho persistente dos desenvolvedores nas criações de blocos que, aparentemente, são mais acessíveis. Portanto, com a fragmentação inclusa em toda essa equação criptográfica, as validações de “nós” também acabaram entrando no conceito de rapidez, fazendo com que a Harmony seja um dos projetos mais rápidos nesse quesito. Isso tudo é um resultado da Verifiable Random Function (VRF), que coloca a fragmentação no caminho da imparcialidade. No entanto, por ser imparcial, a rede acaba por escolher validadores de forma aleatória. Isso não é nenhum ponto negativo no setor, já que isso pode gerar mais união e confiança no futuro.

Leia também:

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

VOCÊ PODE GOSTAR