Criptomercado Destaques News
single-image

FMI faz nova advertência ao El Salvador decorrente da Bitcoin City

O aviso foi veiculado um dia após o presidente Nayib Bukele anunciar os planos do governo em desenvolver uma cidade do ativo, chamado de Bitcoin City

El Salvador é o país de maior evidência dentro do criptomercado em 2021, porém, nem tudo é de teor positivo para a nação latina que tenta abraçar de todas as formas o criptoativo mais popular do setor. Nesta semana, o FMI voltou a se posicionar por meio de uma advertência direcionada ao país. Essa não é a primeira vez que o núcleo monetário se declara negativamente à adesão do Bitcoin (BTC) em El Salvador, reforçando a sua justificativa de que isso terá um impacto negativo para a economia local.

O aviso foi veiculado um dia após o presidente Nayib Bukele anunciar os planos do governo em desenvolver uma cidade do ativo com alimentação vulcânica, chamado de Bitcoin City. Vale lembrar que o país latino já adotou o BTC como moeda corrente neste ano.

 

Veja mais detalhes sobre a ‘cidade Bitcoin’

A nação latina realizou diversas medidas durante o ano para aderir o criptoativo e também criar uma nova filosofia econômica para a população. Além da questão dos vulcões e da adesão de uma carteira, o Bitcoin City entra no planejamento. Porém, mesmo com todo esse movimento, o FMI está com olhos bem abertos para cada ação do governo. No aviso, que se direciona para uma declaração de conclusão do Artigo IV de 2021, o núcleo afirmou que El Salvador deve parar com a adoção do BTC.

“Dada a alta volatilidade do preço do BTC, seu uso como moeda corrente envolve riscos significativos para a proteção do consumidor, integridade financeira e estabilidade financeira. Seu uso também dá origem a passivos contingentes fiscais. Por causa desses riscos, o Bitcoin não deve ser usado como moeda com curso legal”, salienta.

Com isso, o FMI deixa claro em seu pedido que El Salvador precisa tomar a decisão de desistir de operar com o BTC, além de revogar sua Lei de Bitcoin.

Os planos de emitir títulos soberanos e usar os recursos para comprar Bitcoins e financiar planos de infraestrutura anunciados em 20 de novembro ocorreram após a conclusão dos trabalhos técnicos da missão e não foram discutidos com as autoridades”, citou o FMI.

Porém, o aviso formal não parece ter impactado Nayib Bukele, já que o presidente comentou que sua nação é soberana e sabe tomar e arcar com suas decisões.

“Somos soberanos para tomar nossas decisões. Embora obviamente não concordemos em algumas coisas, como a adoção do Bitcoin, a análise que o FMI faz do nosso país é interessante, mas não temos planos de mudar nada com relação as criptomoedas“, pontuou Bukele. 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

VOCÊ PODE GOSTAR