Criptomercado Destaques News
single-image

Coinbase bloqueia Wallets russas ligada com atividades ilegais

Na manhã do dia 07 de março, a Coinbase realizou uma postagem em seu blog oficial sobre as sanções impostas e como a empresa está lidando com isso

Com a situação atual dos conflitos entre a Rússia com a Ucrânia, diversas sanções foram impostas ao maior país territorial do planeta, a maioria concentrada em temas monetários. Devido a esse fator, algumas discussões sobre o criptomercado começaram a tomar força dentro do país, com um olhar ainda mais direcionado para a saúde de transações desses ativos no cenário atual. Na manhã do dia 07 de março, a Coinbase realizou uma postagem em seu blog oficial sobre as sanções impostas e como a empresa está lidando com isso. Além disso, o núcleo comentou que está trabalhando em um programa global de sanções que atua em diversas camadas financeiras. A companhia afirmou que chegou a bloquear cerca de 25 mil Wallets russas, com a justificativa de que essas carteiras estariam diretamente envolvidas com atividades duvidosas e criminosas.

“Hoje, a Coinbase bloqueou mais de 25 mil endereços relacionados a indivíduos ou entidades russas que acreditamos estarem envolvidos em atividades ilícitas, muitos dos quais identificamos por meio de nossas próprias investigações proativas. Assim que identificamos esses endereços, os compartilhamos com o governo para apoiar ainda mais a aplicação das sanções”, afirmou a empresa.

A Coinbase foi bem transparente ao dizer que as transações são públicas, com detalhes precisos sobre informações internas, rastreabilidade e outros conteúdos, logo depois que elas estão ambientadas na Blockchain. Esse é um dos princípios para que soluções tecnológicas do criptomercado escapem de evasões financeiras e outras fraudes.

Em relação ao relacionamento da Rússia com essas sanções, a Finbold realizou um estudo recente com motivos que explicam as razões pelas quais o país não consegue superar esses bloqueios com criptoativos. De acordo com o veículo jornalístico, a falta de liquidez, o anonimato e as exchanges de cripto que são sujeitas a regras anti lavagem de dinheiro são as explicações mais plausíveis para o fato. A Coinbase destacou que mais de US$ 630 bilhões de ativos de reserva estão em posse do Banco Central da Rússia, uma informação bem relevante em termos de mercado monetário.

“Isso é maior que a capitalização de mercado total de todos os ativos digitais, exceto um, e 5 a 10 vezes o volume total diário negociado de todos os ativos digitais”, afirmaram os núcleos. 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

VOCÊ PODE GOSTAR