Criptomercado Destaques News
single-image

Baleias movimentam Bitcoins em semanas de queda

Movimentos das baleias é uma forma de retirar pressão de venda para o criptoativo, um sinal positivo para o futuro

O Bitcoin (BTC) está mais uma vez em um momento de grandes mudanças por conta das constantes tensões entre Rússia e Ucrânia. O anúncio da guerra teve impacto imediato, mas cada nova atualização pode impactar o preço das criptomoedas e todas as outras vertentes deste mercado. Um exemplo recente foi a ameaça nuclear por parte da Rússia, que causou pânico. Após dar esperança a diversos traders e demais profissionais, o BTC voltou a assustar, testando níveis de suporte na casa dos 40 mil dólares. As baleias do mercado estão atentas e se preparando para a sequência da volatilidade. O suprimento de Tether e Bitcoin caiu nos últimos 30 dias nas principais corretoras, e muito se deve a esses movimentos.

Essas ações das baleias são uma forma de se preparar para o futuro. De acordo com informações do Bitcoin Block Bot, que rastreia dados na Blockchain, 11 mil Bitcoins foram adquiridos em negociações desta natureza apenas no final da última semana. O destaque fica para dois movimentos de altíssima escala, movimento, respectivamente, 3616 BTC e 8000 BTC. Somado, o valor supera os 500 milhões dólares e foi levantado em menos de uma hora.

Os fatos apontados indicam algo positivo para o universo das criptos como um todo, mostrando que os holders não estão dispostos a abrir mão de seus ativos. As ações das baleias indicam o interesse em retirar Bitcoins das corretoras e colocar em suas carteiras frias. A questão da queda de suprimento diminui a pressão de venda.

Baleias

O termo “baleia Bitcoin” é usado para os grandes investidores. São considerados baleias aqueles que detêm entre 1 mil a 10 mil Bitcoins. O crescimento no número de baleias é importantíssimo para o mundo dos criptoativos, visto que seus movimentos geralmente são indicadores de tendências e merecem ser estudados.

Confira mais notícias sobre o criptomercado no portal O Monetário 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

VOCÊ PODE GOSTAR