DeFi Educação Tecnologia
single-image

Alta velocidade com o recurso único da Elrond (EGLD)

O projeto, em si, é um ecossistema operacional para o setor novo que opera com Fintechs, DeFi’s e a Internet das Coisas (IoT)

 

Um dos maiores empecilhos em termos de novas soluções do mercado é direcionado para a velocidade de transações. Na criação do setor dos criptoativos, havia uma gama de ferramentas que ajudavam na rapidez de recursos. Mas, com o passar do tempo, a tecnologia avançou e se fez necessária outras atividades que possam aumentar ainda mais essa efetividade. Uma das soluções que pensam nisso é a Elrond (EGLD), que consiste em um protocolo em Blockchain que propõe velocidade extremamente rápida por meio do “Sharding”. O projeto, em si, é um ecossistema operacional para o setor novo que opera com Fintechs, DeFi’s e a Internet das Coisas (IoT).

A grande diferença da Elrond para as demais soluções é que ela pode operar com cerca de 15 mil transações por segundo, apresentando uma latência de seis segundos e um custo bem baixo de transferência, que é de US$ 0,001. Além disso, a rede conta com o token EGLD que, como em outras redes, atua como agente de pagamento de taxas, Staking e recompensas para profissionais que validam “nós” no protocolo. Por causa disso e por atuar com a “nova internet”, a Elrond se apresenta como uma das melhores soluções em termos de praticidade no setor. Por isso, ela acaba sendo bem visada pelo mundo empresarial.

Mas qual sua principal função?

De acordo com o protocolo, sua maior função é atuar em prol de uma alta escalabilidade, sendo a primeira rede que implantou essa forma fragmentada de transações em sua rede. A proposta é feita por mais de 2 mil “nós” validadores que se dividem em quatro fragmentos. Três deles são se direcionam na execução, e são capazes de operar com 5,4 mil transações por segundo. O outro fragmento, que se diferencia dos demais, é o que opera em prol da coordenação geral, formando assim uma “família” de fragmentos. Esse final é chamado de “Metachain”.

O grande “bônus” da rede é ter uma natureza totalmente adaptável, assim, sua fragmentação consegue adaptar suas funções na rede e em futuras transações. Dessa forma, o Elrond pode entrar escalonamento ao adicionar um suporte adicional para atender taxas de transferência que não foram vistas com atenção. Há a possibilidade de atuação no protocolo por meio dos desenvolvedores, que podem ganhar uma parcela de royalties dos Smart Contracts da Elrond. A velocidade aliada de um protocolo cheio de qualidades destaca a vivência da solução no setor. E isso poder ser uma inspiração em termos de agilidade para futuros criptoativos e redes.

Leia também:

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

VOCÊ PODE GOSTAR